Loading
#SEJAMEGA

Drones em monitoramento: a inteligência artificial a nosso favor

Você sabe como surgiram os drones?

Na década de 60, assim como o GPS, sua função inicialmente servia a área militar. Nos anos 80 essa inteligência artificial começou a chamar  mais atenção por sua funcionalidade e os drones eram muito utilizados em ações, substituindo a necessidade de colocar a vida dos oficiais em risco. No Brasil, a tecnologia só chegou em 1983 e os primeiros modelos tinham o intuito de gravar imagens e vídeos.

Com o passar do tempo, além de ter um retorno satisfatório dentro das áreas de entretenimento, agricultura e atividades recreativas, também passou a entrar no ramo da segurança como um equipamento importante para auxiliar no monitoramento de áreas extensas.   

Com a utilização dessa inteligência, as rondas passam a ser mais eficientes evitando confrontos diretos preservando a integridade física das equipes de segurança. Exatamente por isso que o “Grupo Megavig” decidiu implementar a utilização desse equipamento, visando seus benefícios no monitoramento do patrimônio dos seus clientes. 

Na área da segurança, os drones se mostram cada vez mais eficazes e vantajosos.

A aplicação do drone na segurança patrimonial é bastante recorrente. Com o correto controle desse equipamento é possível mapear ruas, bairros e condomínios, disponibilizando imagens com precisão e alta resolução, ajudando no trabalho da equipe de segurança. 

“Esse tipo de tecnologia não é o início nem o fim do trabalho da equipe, mas sim o meio. Ou seja, mesmo com a utilização da ferramenta, não é dispensável a presença do vigilante, até mesmo porque a legislação brasileira de aviação não autoriza os voos autônomos (sem interferência humana)”, ressalta Mário Cruz, instrutor de drone.

– Confira abaixo o vídeo exclusivo: Numa conversa com André Bicalho, gerente de tecnologia do “Grupo Megavig”, Mario Cruz, instrutor do “Ensina Drone” fala sobre o monitoramento realizado por Drones e explica que a Tecnologia vem para auxiliar o trabalho do vigilante e nunca para eliminá-lo.

Dentro do regulamento, também é informada as capacitações necessárias para o uso de drones no modelo de monitoramento. Desde a compra do veículo até o uso final, é indispensável dar atenção a alguns pontos obrigatórios conforme a legislação. De início, o aparelho já deve ser homologado pela ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações). É possível fazer a homologação pelo mosaico da agência.  

Para a aplicação segura e regulamentada do drone, no monitoramento da sua empresa, entre em contato. Os profissionais do departamento de Tecnologia do  Grupo Megavig estão à disposição para a segurança do seu negócio!

GRUPO MEGAVIG. Com toda segurança, sua melhor escolha!